02/03/2012

O mundo é cruel

E o glorioso mundo da panificação não foge à regra. Anda uma pessoa à roda de uma massa durante tempos infinitos, a tratá-la bem, quase a dar-lhe beijinhos e a aguardar pacientemente, apenas para verificar que o que devia acontecer (ela crescer), não acontece. Ser aspirante a padeira é complicado; mas eu tenho um fraquinho por coisas que dão luta. Em compensação, este post é totalmente desinteressante e admiro quem o continuou a ler.

2 comentários:

RedNudeBlogger disse...

:)

Rosa disse...

Puseste fermento, espero! :) Beijinhos, Izzolda.