19/10/2017

Do drama das combinações através de sistemas de mensagens

Dantes, era fácil. Uma pessoa combinava com um mês de antecedência, sítio X, hora Y. Toda a gente aparecia, ninguém se atrasava, a coisa acontecia e íamos todos à nossa vida. 

Todos sabemos bem que as coisas mudaram.

Agora, 4783 mensagens depois num qualquer grupo de um sistema de mensagens instantâneas, a coisa lá se combina, não sem antes:

- Serem propostas 12 datas diferentes;
- Haver uma análise ampla e detalhada do local eleito em 4 ou 5 sites e blogues de opinião diversos, com análise da pontuação média;
- Estudar o melhor trajecto numa qualquer aplicação de mapas;
- Haver mais 980 mensagens à última hora a avisar de atrasos/apresentar dúvidas sobre o local escolhido, apesar de todos os links já enviados/informar da situação da procura de estacionamento/maldizer os servidores da aplicação de mensagens pelo atraso indesculpável/amaldiçoar os atrasos dos transportes;
- Haver vasta documentação fotográfica da comida, do ambiente, das pessoas;
- Haver vários posts em diversas redes sociais a demonstrar como somos bons-vivants inveterados apesar da nossa eventual intolerância a (inserir favorito entre: glúten, açúcares, espaços sem itens de macramé, tudo isto).

Se calhar, precisamos todos de uma pausazinha. Tenho saudades de não ter de pensar tanto em coisas que deviam ser simples.

[Sim, estou deliberadamente a não referir o facto de ser a primeira publicação em mais de dois anos.]

Sem comentários: